segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Quiz Literário. Participe djá!











Qual o maior desafio pra quem escreve literatura?


1) falar de alguém ou alguma coisa sem nunca conhecê-la ou vivenciá-la e jurar de pés juntos que tudo que você escreveu é pura verdade.


2) se colocar no lugar do personagem e tentar entender sua alma sem nem mesmo conhecer a sua própria, mas seu cachorro a entende muito melhor.


3) falar na terceira pessoa com a intenção de falar na primeira sem que ninguém se aperceba disso, apenas você e o dono da quitanda que leu seu rascunho em troca de duas palmas de bananas.


4) ter que dizer o que não pensa e fazer o que não faz, mas de maneira que todos pensem que o que está lendo é a sua cara.


5) ter que dar entrevista para alunos de cursinho e dizer que tudo não passa de 10 por cento de inspiração e 90 de transpiração, só que você usa Rexona Ultra Seco, mas eles não sabem.


6) fazer de tudo para estar no programa de Ana Maria Braga e dar entrevista para Paulo Henrique Amorim na Record, dizendo que detesta esses programas das manhãs que falam de tudo como os velhos almanaques do Biotônico Fontora.


7) ter que desembolsar uma grana preta (ou branca) que você não tem e pagar para a produção de um famoso talk-show com um entrevistador de peso, sem ter a chance de falar 5 minutos do seu último lançamento, pois o sujeito não lhe dá uma chance. 


8) não entender patavinas o que está escrito no guardanap, pois você estava trébado na noite anterior e vomitou o vinho em cima dele. Você só lembra que havia escrito o próximo plot para o  maior romance policial de sua vida.


9) não poder escrever alguma coisa que preste, mas mesmo assim continua escrevendo achando que ninguém vai notar a sua imcompetência literária.

10) inventar um quiz com um monte de babozeiras, pois não consegue escrever uma linha do seu próximo livro e que já está ficando tantan da cabeça.

2 comentários:

TERELUZIA MARIA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hélio Jorge Cordeiro disse...

Tereluzia, é sempre difícil fazer alguma coisa, pois melhor seria não fazermos absulutamente nada, já que a vida é pura fantasia, segundo um filósofo desses.