sábado, 17 de setembro de 2011

Livrar (se)























"A gente publica um livro para livrar-se dele" - Jorge Luis Borges.

Baseado nesta frase, eu passei a entender a minha impaciência em não ter me livrado de dois livros já prontos! Estava certo Borges. Não vejo a hora de me ver livre deles. É como se fosse nos tempos medievais, em que você procurava jogar fora, mais que depressa, tudo que ganhasse de alguém com suspeita de lepra ou mais menos isso, acho.

Bom fim de semana!

5 comentários:

Enzo Potel disse...

sim, esse inferno!!!

me lembrei de um poema do Bukowski:


"tire um escritor de perto de sua máquina
e tudo o que você terá
é
a doença
que o fez
escrever
desde o início."

boa semana, mai friend!

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Quem bom saber disso, meu caro Potel. Eu só consigo escrever por não conseguir ler o que eu escrevo.

TERELUZIA MARIA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
TERELUZIA MARIA disse...

"Sempre haverá alguma coisa para arruinar nossas vidas. Tudo depende do quê, ou de quem nos encontra antes... Nós estamos sempre maduros e prontos para sermos levados".

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Pois é Tereluzia, as etapas da vida são como as páginas de um livro. Temos que passar uma após a outra se quisermos chegar ao final.