quarta-feira, 13 de julho de 2011

O amante indelével










Era amor a primeira vista. Ele tocou de leve seu rosto. Desceu suas mãos até os seus seios. Passou os dedos sobre os mamilos. Desceu-os, escorregando-os levemente pelo abdômen, até a virilha. Tocou-lhe de leve seu sexo. O sentiu quente, emudecido. Penetrou-a, delicadamente... Ele acendeu um cigarro, enquanto ela dobrava a esquina, indo embora. Ele continuou a andar, procurando outra, quiçá, dando-lhe a oportunidade de sonhar mais uma vez enquanto andava pela avenida.

2 comentários:

Diz disse...

Olá, qto tempo!
Gostei do continho- lembra um dos meus :)
Abs e bom te ver no meu blog, Laura

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Merci, Laura!
Obrigado pela visita! Que bom que gostou do contito. Se lembra um dos seus, é por que estou no caminho certo. Hehehe
abraços
Hélio